CANÇÃO DO AVESSO



Imagem do DevianArt por Louise.


Qual o nome dessa canção
Que a gente deixou do avesso?
O que rima com a sua dor
E transforma em recomeço?

Qual o nome desse sentimento
Tão fugidio, exagerado e estreito?
O que rima com esperança
E não deixa esse clima suspeito?

Qual o nome desse olhar
Que te constrange os trejeitos?
O que rima com minha voz
E me provoca tantos receios?

Qual o nome desse conto
Que a gente deixou desfeito?
O que rima com seu humor
Sem me atravessar o peito?

Qual o nome dessa canção
Que a gente deixou do avesso?
Porque o compasso sem pauta?
Será que não somos causa,
Apenas um vago efeito?

ARTEMOS!





 Imagem do DevianArt por N. Criminova.


O rio que rejeita a margem
A qual se encosta,
Se estreita e se esgota.

LEROS DE MAIO

É claro que você já esperava por isso, mas te juro que eu não esperava.
Fui inocente o bastante para acreditar que Artes Cênicas seria um curso tranquilo. 
Pois bem, aí está o resultado: não, não é.


 Primeiro quadro: Meus Planos .
Segundo quadro: Minha capacidade de executa-los.


De todas as faculdades que cursei, é disparadamente a mais exigente em termos de trabalhos e leituras, os livros são incrivelmente extensos e se multiplicam a cada aula. E para juntar, dependendo da disciplina surge um trabalho a cada aula.
Claro que tem um jeito de piorar isso: PIBID. Se você não sabe, é um programa de bolsa de iniciação á docência, porque sim, serei professora de artes. Se bem que até hoje eu não sei como não pensei nisso antes. É a minha cara, colocar coisas na cabeça de jovens com mentes antes tão saudáveis. Meu objetivo vai ser desperta-los para a sensibilidade e com isso faze-los se colocarem no lugar do outro. Não é tarefa fácil, porém eu já estava fazendo isso mesmo, com esse blog. E eu acabei de falar como meus professores. Eita, essa coisa pega!


Pensar como professor é uma doença e já comecei a espirrar...


Meus outros projetos andam parados, mas é só temporariamente, até eu me policiar e aprender administrar toda essa demanda. Então, essa é a desculpa da vez.
Como um lenitivo te conto que fiquei doida pra escrever, porque claro, muitas coisas deram errado de maneira surpreendente e que contarei aqui sabe-lá-Deus-quando, entretanto como Seu Neil me ensinou: MAKE GOOD ART!
Eu espero gravar vídeos, porque é mais rápido. E porque faz tempo que vocês não veem minha cara oblonga num eterno slow motion, sou uma sujeitinha um tanto letárgica.
Queria contar mais, mas daí tiro o material do vídeo que estou preparando...vai ser algo sobre as maiores mentiras que ouvi na faculdade de Artes Cênicas. Uma coisa boa de você ter experiência na área é que você não vê um professor como rei absoluto da razão (não quero que meus alunos jamais me vejam assim), principalmente se ele tem menos vivência do que você nesse negócio.
Acho que é como eu me sentirei ensinando arte da periferia para alunos que vivem na periferia. Diferentemente do meu mestre, não vou disparar preconceitos para esconder minhas inseguranças.
Bom, já falei mal de um professor, já te falei do curso, dos meus pequenos planos. Partirei.
Sabe-Deus-lá-quando vou voltar. Mas agradeço as visitas de coração e sim, tenho saudades desse lugar virtual que me mantém ainda presa nesse mundo real.
Obrigada a todos!


Beijos e GERONIMOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!